«

»

Benzoato de Emamectina paralisa e mata pássaros silvestres

O Benzoato de Emamectina, um pesticida produzido na China, altamente perigoso pois tem ação paralisante, foi liberado pelo Ministério da Agricultura a sua entrada no Brasil para ser aplicado na Bahia, na cultura de soja e do algodão.

O pesticida já foi utilizado por fazendeiros americanos para matar milhares de pássaros silvestres, cujo rebanho atacaram suas plantações de grãos a alguns anos atrás.

O pesticida causa paralisação dos nervos, e após a aplicação os pássaros caem e permanecem no solo da mesma maneira que caiu, impossibilitados de se mexer ou se locomover, conseguem apenas mover os olhos e podem permanecer nesse estado sem conseguir se alimentar até por uma semana quando então sobrevêm a morte. O efeito paralisante do pesticida é irreversível.

As consequências do pesticida sobre animais aquáticos também é devastadora, mesmo a longo tempo ele permanece na água.

O Benzoato de Emamectina também é absorvido pelas partículas do solo e ocupa os primeiros 10 cms de solo, conhecida como a camada viva do solo, e mata todos os micro-organismos.

Por não ser um pesticida seletivo ele mata todas as especies de insetos, incluindo pequenos mamíferos.

Em humanos o Benzoato de Emamectina causa paralização dos nervos cerebrais a médio e longo prazo (Telma Lobão)


 

Recomende essa postagem

Share to Facebook
Share to Google Plus

4 comentários

  1. Marcus Saboya disse:

    Goias em estado de emergência fitossanitaria

    O Ministério da Agricultura atendeu pedido feito por Goiás, em 8 de novembro, solicitando declarar estado de emergência fitossanitária nos municípios goianos por conta da lagarta Helicoverpa armigera. A portaria do MA, publicada ontem, 26, com o número 1.166, autoriza Goiás a implementar o plano de supressão da praga. Ou seja, mecanismos para reduzir a população da lagarta. Entre elas, a importação de agrotóxicos com o princípio ativo benzoato de emamectina. As aquisições dos produtos foram regulamentadas pelo governo por meio do Decreto 8.133 (autoriza a decretação mediante situação de risco). A emergência terá vigência de um ano e será válida para todas as áreas produtivas. “O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seagro), numa parceria com o setor público agrícola composto pela Agrodefesa, Emater, Ceasa, Universidade Federal de Goiás, Superintendência do Mapa no Estado e Embrapa, tomou as medidas necessárias para buscar solução para combater a praga”, disse o secretário da Seagro, Antônio Flávio Camilo de Lima assim que tomou conhecimento da ameaça às lavouras de Goiás.

    Para o secretário, a agilidade do governo em buscar uma estratégia para evitar danos à economia goiana, “ampliou o alerta aos agricultores sob a necessidade de encontrar, juntos, mecanismos de combate à helicoverpa”. Flávio destaca também, que a Seagro já vinha promovendo seminários nas principais regiões do Estado, em parceria com a Agrodefesa, Emater e UFG, para “esclarece os perigos que esta praga pode trazer à nossa economia”.


    Secretaria de Agricultura, Pecuária e Irrigação do Estado de Goiás (SEAGRO)
    imprensaseagro@gmail.com
    imprensa@seagro.go.gov.br
    http://twitter.com/seagrogoias
    http://www.flickr.com/photos/seagrogoias
    FACEBOOK facebook.com/seagro.goias
    TWITPIC http://twitpic.com/photos/seagrogoias
    YOUTUBE http://www.youtube.com/vonivar
    http://www.seagro.go.gov.br
    62) 3201-8905
    62) 9976-2122

  2. Carlos disse:

    Caro Marcus,
    os seminários estão sendo promovidos para esclarecer “os perigos que esta praga pode trazer à nossa economia” porém, deveriam esclarecer, primeiramente, sobre os danos ambientais e de saúde que irão provocar. Tudo isto devido ao plantio de transgênicos, que cada vez mais está exigindo o uso de agrotóxicos, ao contrário do que os detentores das suas patentes diziam.

  3. Idalceno disse:

    Essa é a lei da sobrevivência tem que alimentar mais de 6/bilhões de seres humanos, sempre vai morrer alguém ou por agrotóxicos, ou por fome e dai vamos fazer o que?.

    Claro que estão fazendo tempestade em copo dágua , não tão dificil controlar essa praga,já ocorreu em outras épocas essa mesma praga, o negócio que muitos pesquisadores de ontem já se aposentaram, e não nenhum jovem hoje ser um pesquisador. também cabe aos orgãos pesquisadores acompanhar essas aplicações, hoje só tem consultor, mais consultor , muito mal passam uma receita de bolo, vai dizer que não é isso que vejo em várias regiões.

  4. Leonardo disse:

    Carlos, a cultivar transgênica que “resiste” a tal lagarta está disponível, mas seu preço é alto demais. As culturas tradicionais ou transgênicos da década de 90 é que precisam da aplicação do benzoato de emamectina.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


six + 4 =




O relógio da Terra mostra-nos alguns dos impactos causados pelo Homem na Terra. As estatísticas nele apresentadas, que estão a ser actualizadas ao vivo, podem ser verificadas nos sites seguintes:


População mundial: US Census Bureau
Taxa de crescimento populacional: CIA World Factbook
População prisional: UK Homeoffice
Divórcios (apenas para os Estados Unidos): Wikipédia
Imigração ilegal nos Estados Unidos: Wikipédia
Abortos: Wikipédia
Mulheres que morrem durante procedimentos abortivos incorrectos: Organização Mundial de Saúde
Taxa de infecções por HIV: Avert
Taxa de incidência de cancro: UICC
Temperatura média da Terra: Wikipédia
Extinções de espécies: National Wildlife Federation
Produção de petróleo: CIA World Factbook
Produção de carros: Mation Master
Produção de bicicletas: Earth Policy
Produção de computadores: Top Secret
Estatísticas de mortalidade: Organização Mundial de Saúde